O que é neurociência cognitiva e do aprendizado?

A neurociência é uma das ciências dedicadas ao estudo das atividades cerebrais e a influencia destas no comportamento humano, sendo focada especificamente no estudo do sistema nervoso central e suas funções, estrutura, patologias e fisiologia. O que é neurociência cognitiva então e qual a relação dela com o aprendizado? Vamos explicar a seguir!

O que é neurociência cognitiva?

A neurociência cognitiva é uma subárea da neurociência que tem como foco o estudo das capacidades mentais dos seres humanos, buscando compreender elementos como o pensamento, aprendizado, percepção, linguagem, inteligência e memória. Devido a isso também pode ser chamada de ciência do aprendizado ou da educação.

Essa ciência tem como foco as sensações e percepções dos indivíduos. Isso representa identificar como as pessoas aprendem a partir de experiências sensoriais, como um cheiro, ruído ou música, sabor de uma comida, uma imagem ou o toque em uma superfície. Esses são exemplos de atividades sensoriais, sendo que elas são transmitidas para o cérebro que as entendem de determinadas maneiras.

Dessa forma, a neurociência cognitiva não se debruça apenas sobre o sistema nervoso, mas também em como as experiências sensoriais aprendidas pelo indivíduo são processadas no cérebro e transformam-se em conhecimento. Devido a isso, essa ciência é tão relacionada com o aprendizado e modelos educacionais.

Os estudos nessa área têm avançado nos últimos anos e demonstrado como o processamento de algumas informações pelo cérebro podem ser diferentes de acordo com os estímulos aos quais os estudantes são submetidos.

Qual a relação da neurociência cognitiva com o aprendizado?

Já existem pesquisas promissoras sobre como algumas técnicas educacionais podem afetar positiva ou negativamente o aprendizado. Esse conhecimento permite aprimorar modelos de aprendizagem e também tornar a educação mais assertiva, levando em consideração os processos neurais realizados. Conheça algumas:

  • emoções: quando o aprendizado é associado a emoções positivas acerca do conteúdo ele tende a impactar mais o aluno e dessa forma vai interferir na lembrança daquela informação. Emoções negativas também impactam o aprendizado e podem prejudicar o ensino quando não desestimuladas;
  • atenção: o aprendizado é bastante relacionado com a atenção dada ao momento de ensino, o sistema nervoso só capta uma informação quando a pessoa está atenta e quando a mensagem tem um significado;
  • socialização: o desenvolvimento cognitivo do indivíduo é relacionado com a socialização dele, assim, práticas em grupo e atividades conjuntas ajudam a desenvolver a linguagem verbal e não verbal, a empatia, no reconhecimento e expressão das emoções e no desenvolvimento das potencialidades individuais;
  • memória: o aprendizado também é muito influenciado pela memória e essa, por sua vez, depende de sistemas de repetição e também de associações, que são conexões estabelecidas a partir de um conteúdo que ajudam a recuperá-lo quando necessário;
  • motivação: esse aspecto é bastante relevante na determinação da pessoa de levar uma tarefa adiante ou não. Interpelações positivas, por exemplo, ajudam a motivar e incentivar o aprendizado, entretanto, desafios instransponíveis tendem a desmotivar e prejudicar.

Ao entender o que é neurociência cognitiva e qual a relação dela com o aprendizado o indivíduo pode aplicar o conhecimento resultante de pesquisas na área no próprio desenvolvimento profissional, pessoal e acadêmico. Uma vez que existem métodos de aprendizado que tornam o estudo mais assertivo, adotá-los nas próprias práticas de aprendizado é uma maneira de aplicar a neurociência no cotidiano.