Azitromicina: Saiba todas as formas de uso desse antibiótico!

Entre a ampla gama de medicamentos que a indústria farmacêutica possui, acabamos ficando até meio perdidos às vezes. Por isso, hoje nesse post iremos falar um pouco sobre a azitromicina.

Fique ligado e entenda mais sobre esse antibiótico.

[toc]

O que é?

Esse famoso nome remete a um antibiótico super potente. Sua atuação no organismo ocorre a partir da inibição da síntese de proteínas de bactérias sensíveis aos seus compostos. Levando assim, à eliminação dos organismos invasores. Ela pode ser comprada em versões de comprimido ou de suspensão oral. Outros nomes para esse medicamento são Azi, Astro, Azimix e Zitromax, todos eles são igualmente compostos por azitromicina diidratada.

Para que serve?

Esse fármaco é indicado para o tratamento de infecções, mais especificamente as do trato respiratório e na pele e tecidos moles. Ele também é utilizado para tratar algumas doenças sexualmente transmissíveis comuns, como a clamídia e a gonococo. Um dos seus maiores usos é para tratar a otite, que é a inflamação na orelha média ou externa.

No caso de infecções na pele, a azitromicina pode ser usada por exemplo para furúnculos ou úlceras. É um remédio altamente eficaz e comumente indicado para esses problemas mais simples.

Posologia

Para ter o efeito correto desse remédio, é necessário ingeri-lo por pelo menos 3 dias, tomando um comprimido de 500 mg por dia. Porém, essas doses variam de acordo com a necessidade do paciente. Por exemplo, no caso de tratar gonorreia, a posologia muda para tomar apenas dois comprimidos de 500 mg em um único dia e não prosseguir com o tratamento.

Para crianças, o ideal é que se receite apenas 10 mg para cada quilo do pequeno, no caso de crianças de até 45 kg.

De qualquer forma os efeitos colaterais desse medicamento são muito fortes, por isso a melhor opção é procurar o acompanhamento médico para uma correta posologia.

Tem penicilina?

Não. Uma dúvida recorrente dos pacientes é se a azitromicina possui penicilina, pois uma alergia a esse componente é bem comum.

Na fórmula da Azitromicina os excipientes são: estearato de magnésio, croscarmelose sódica, laurilsulfato de sódio, álcool polivinílico e dióxido de titânio. Além desses compostos, os outros mais comuns apenas para montar o formato do comprimido são o talco e o amido. Se você tiver alergia a algum desses compostos, suspenda o uso imediatamente e fale com o seu médio a respeito da substituição do tratamento.

Para infecção urinária

Sim, porém é extremamente perigoso receitar o medicamento por conta própria. Cada infecção urinária pode ser causada por uma espécie de bactéria diferente, por isso, nem sempre a azitromicina pode ser eficaz para um problema do trato urinário.

E pior, tomar um medicamento errado pode não só ser ineficaz como favorecer um prolongamento do distúrbio, ao facilitar a reprodução das bactérias mais fortes.

Por isso, sempre entre em contato com seu médico para tratar a infecção urinária.

Pode beber álcool?

Não. Não é indicado de maneira alguma, nem mesmo para doses pequenas, o consumo de álcool durante a ingestão dos comprimidos de azitromicina.

Esse fármaco é muito agressivo à mucosa gastrointestinal, portanto, quando em contato com substâncias alcoólicas, ele pode literalmente digerir as paredes do estômago e intestino.

O to de beber álcool ao tratar com azitromicina frequentemente causa efeitos colaterais como náuseas, dores abdominais, diarreia e vômitos.

Azitromicina corta o efeito do anticoncepcional?

Não. Esse medicamento não interfere nas pílulas contraceptivas, nem mesmo nas “do dia seguinte”, injetáveis, adesivos ou de implante. Seus compostos não agem em conjunto com as substâncias dos contraceptivos orais, por isso, fique tranquila ao tomar.