O DroneShow, o maior da área na América Latina, atraiu muitas pessoas intrigadas pelas notícias e lançamentos do mercado no primeiro dia. Reunir 52 expositores, o razoável adquiriu o dia mais atual e atual do segmento. Entre as características do primeiro dia do show estavam os autômatos de drones Saiba Mais desses equipados para reconhecimento facial; o salvamento na água; o autômato mais caro da ocasião, que custa até US $ 100.000; e transporte.

Você percebeu que um autômato pode atingir mais de US $ 100.000? Isto é apresentado pela organização Dahua Technology que transmitiu à ocasião um autómato com sensores e câmaras 4K. Contingente à inovação associada a ela, a estima é muito maior. Este tipo de equipamento pode ter algumas aplicações: salvamento de crise, prevenção de incêndios no interior, bases marítimas, reconhecimento facial, supervisão de tráfego, energia eólica, segurança e isso é apenas a ponta do iceberg.

Autômato com reconhecimento facial

Os Black Bee Drones, formados por suplentes da Universidade Federal de Itajubá, levaram a consideração dos convidados do DroneShow com um autômato que faz o reconhecimento facial. Com um dispositivo de gravação independente, você pode aplicar esse acordo utilizando um cálculo para concentrar-se em um indivíduo em particular. O grupo de curiosos buscou adicionalmente um método substituto para controlar o autômato: o uso da reação aos estímulos sonoros.

“Para esta situação, o PC de terra, onde está executando a estrutura, reconhece uma recorrência particular que aciona alguma direção para o autômato. Esta aplicação também pode ser utilizada com divisões de segurança que executam uma missão depois que a estrutura distingue o som de um alerta. , por exemplo, “sutilezas Caíque Duarte, capitão geral do grupo.

À medida que os autômatos são progressivamente preparados, a estrutura de ação de combate ao acidente descobrirá que, por exemplo, alguns dispositivos como o Phantom 4 e o Mavic Pro, voando para frente contra o divisor, por exemplo, devem se retirar e ficar longe do impacto. A Dark Bee Drones participa de algumas rivalidades, por exemplo, a Competição e Conferência Internacional de Microar Veículos (IMAV), onde conquistou o quarto lugar na classe Outdoor, realizada em Toulouse, na França, atrás apenas de grupos da Alemanha, Cingapura e China. .

Autômato que transmite remédio

Para transportar medicamentos, a SMX construiu um autômato para transporte. Para isso, utiliza um hexacopter e um programa criado pela marca nacional SMX Systems. A garantia é que o aparelho e a carga ultrapassem um percurso de 500 metros com velocidade extrema de até 32 km / h. A elevação deveria ser de 15 metros.

Mais https://cursodepilotagemdedroneonline.wordpress.com/2018/06/30/curso-de-piloto-de-drones-online/ Drones

Para transportar os medicamentos, a SMX utiliza o passeio SMX-DLV-1 com programação introduzida para obter transporte e transporte. Não muito tempo depois de decolar com o curso pré-modificado, a organização encarregada da recreação diz que é concebível rastrear progressivamente todo o curso com a assistência de uma câmera anexada ao hardware. De acordo com a SMX Systems, a inovação que será utilizada na principal reencenação oficial pode ser útil em territórios de risco ou acesso problemático. Da mesma forma, é concebível ajudar o território de bem-estar com meios de transporte de crise em clínicas médicas e áreas removidas.

Hardware que salvam as águas

A Guarda Civil de São Paulo apareceu em meio ao DroneShow uma engrenagem feita pela organização SkyDrones: um autômato com estrutura de salvamento SARtube (com flutuação auto inflável e programação programada e programação de despacho). O equipamento acaba de ser testado no reservatório de Guarapiranga em meio ao envio da Operação de Resgate com autômatos para resgatar vítimas infelizes.

Ao distinguir um indivíduo lesionado sufocante, os tipos de marcha com os flutuadores de vida acoplados são coordenados para onde a infeliz vítima é encontrada e, desse modo, o dispositivo que descarrega a estrutura da bóia na água é iniciado para ajudar o principal. sufocar até a entrada do pagamento.

O framework utilizado é o SARtube (Search and Rescue), que pode ser acoplado a alguns tipos de autômatos e é composto por lançador e boia inflável automática, apesar da programação pela qual o aparelho se posiciona e naturalmente despacha a bóia, após o administrador entrar em contato com os feridos. imagem individual na apresentação de seu controle. O flutuador se expande quando entra em contato com a água e preenche como ajuda para a pessoa em questão enquanto o grupo de resgate está em rota. A principal vantagem é que a inovação pode ser introduzida em pequenas caminhadas pelo esforço mínimo – por conta dos bombeiros brasileiros, modelos Phanton, do DJI chinês.

Para mais dados

Enviar críticas

Histórico dos drones


Comunidade
Enviar feedback
Histórico
Salvas
Comunidade
Saiba Mais Em Nosso Site Aqui

Compartilhe: