Negócios

Crescimento do mercado de Sex Shop durante a pandemia

sex shop, crescimento durante a pandemia

A pandemia está aí e no seu período mais difícil, foi preciso que muitos estabelecimentos comerciais fecharam suas portas como uma forma de impedir que as pessoas circulassem e o vírus não fosse disseminado.

Com isso, muitos segmentos viram as vendas caírem de forma considerável, mas não foi o que aconteceu com o mercado de sex shop. De acordo com informações da Associação Brasileira das Empresas do Mercado Erótico e Sensual, somente em 2020, as vendas chegaram a nada menos que dois bilhões de reais.

Conforme os dados da Allied Market Research, somente em 2020, os produtos eróticos movimentaram nada menos que 78 bilhões de dólares e a expectativa é que nos próximos cinco anos o mercado atinja um crescimento de 5%.

Esse crescimento está relacionado diretamente à necessidade do isolamento social, fazendo com que as pessoas apresentam problemas como: ansiedade, estresse e solidão.

Para resolver essas situações, elas recorreram ao mercado de sex shop com o objetivo de encontrar alguma coisa que pudesse fazer com que elas não se sentissem tão sozinhas e pudessem relaxar.

Sex shop online é um canal eficiente

É fato que muita gente ainda considera a compra de produtos eróticos como um tabu. Por isso, e com vergonha de se expor, é comum que as pessoas recorreram ao sex shop na internet

Isso ficou evidente, pois o e-commerce foi o meio pelo qual o faturamento do sex shop pode ser observado, afinal ninguém sabe quem está comprando e a pessoa não corre o risco de ser vista, por exemplo, em uma loja física.

Sem contar que, com a pandemia, as lojas precisaram ser fechadas em períodos em que as coisas estavam mais difíceis e isso fez com que muitas lojas que vendem produtos eróticos precisassem migrar para o mundo virtual.

Casais são os que mais compram de sex shop

Engana-se quem pensa que são os homens que mais procuram um sex shop. O público que mais compra produtos de uma loja de produtos eróticos são as mulheres e os casais, porque o objetivo deles é trazer uma novidade para a relação.

As mulheres, por sua vez, optam pela compra no sex shop, porque querem comprar produtos que possibilitam o autoconhecimento ou por desejarem sentir prazer mesmo estando sozinha, mas isso não impede que homens que optem pelas acompanhantes também comprem. 

43% de casais americanos recorreram aos produtos de um sex shop para passar o período de confinamento e 50% das compras de produtos do segmento também foram realizadas pelos norte-americanos.

Qual é o produto mais vendido?

Os vibrados são os produtos que mais se destacam em um sex shop. Conforme as informações divulgadas pelo Portal Mercado Erótico somente entre os meses de março e agosto de 2020 quase 1 milhão de unidades foram vendidas no país.

Isso acontece, pois o produto tem uma grande variedade e tem sido fabricado com muita tecnologia. Há vibradores que possibilitam fazer o controle dele por meio de um aplicativo ou que funcionam a distância.

Depois dos vibradores, os produtos mais vendidos em um sex shop foram: lubrificante íntimo, gel térmico, gel destinado a massagem corporal e a calcinha tailandesa.

Expectativas do mercado

É fato que o mercado erótico ainda é marcado pelo preconceito, pois não é todo mundo que se sente confortável para frequentar um ambiente como esse, afinal o sexo ainda é um tabu mesmo estando em pleno século XXI.

No entanto, os bons resultados já obtidos pelo segmento apontam para um futuro positivo para o sex shop. A tendência ainda é que ele continue em pleno crescimento e a expectativa é que os investimentos se voltem para a internet, pois ela tem feito com que as lojas levem aos seus clientes não só segurança como ta

Veja outros conteúdo e dicas

Qual a sua reação?

Animado
0
Feliz
0
Apaixonado
0
Mais ou menos
0
Empolgado
0

Você pode gostar

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Mais em:Negócios