Diretório de Artigos » Alimentação » Introdução Alimentar do Bebê: como começar?
Introdução Alimentar do Bebê
Baby eating. Mother feeds the baby. Little child in a kid's chair.
Alimentação Saúde

Introdução Alimentar do Bebê: como começar?

Ao completar 6 meses de vida a maioria dos bebês já estará pronta para iniciar a alimentação por sólidos. Até então espera-se que ele esteja sendo alimentado apenas com leite, seja materno ou artificial.

Além da idade existem outras habilidades do bebê que devem ser observadas antes de inciar, são os chamados sinais de prontidão – que falaremos mais adiante.

Mas como começar a introdução alimentar de fato? Quais alimentos oferecer? Que utensílios comprar? O que estudar antes de começar? Continue lendo o artigo para descobrir.

Sinais de prontidão

Antes de mais nada é preciso ter certeza de que o bebê está pronto. A idade recomendada pela Sociedade Brasileira de Pediatria é aos 6 meses de vida desde que apresente os sinais de prontidão, que são:

  • Sentar com apoio, ou com o mínimo de apoio;
  • O reflexo de protrusão da língua (colocar o alimento para fora com a língua) deve estar diminuindo;
  • Conseguir segurar objetos com a mão;
  • Demonstrar interesse pela comida.

Só assim pode-se iniciar a introdução alimentar com segurança, pois dessa forma diminuímos o risco de engasgos e da rejeição do bebê pelos alimentos. Além de que somente aos 6 meses é que o aparelho digestivo do bebê está completamente pronto para digerir comida sólida.

Métodos

Depois de ter certeza de que o bebê está pronto para começar, é hora de decidir qual método seguir. O mais comumente utilizado é a Papinha, mas é importante saber que hoje existem métodos mais atualizados que podem ajudar no desenvolvimento do bebê de diversas formas. Conheça:

Papinha – Tradicional: Comidinhas amassadas ou batidas, geralmente misturadas, que são dadas ao bebê de colher.

BLW (Baby Led Weaning): O método BLW promove autonomia ao bebê já que os alimentos são ofertados em pedaços grandes para que ele pegue com a mão e explore sozinho (com supervisão!).

BLISS (Baby Led Introduction to SolidS): Muito parecido com o BLW, também foca em oferecer comida de forma que o bebê possa comer sozinho. Porém o BLISS segue algumas diretrizes estabelecidas por profissionais para garantir a boa nutrição do bebê.

ParticipAtiva: A IA ParticipAtiva veio para unir os diferentes métodos. Ela usa estratégias dos outros métodos, oferecendo comida de colher ao mesmo tempo que deixa o bebê comer com as mães também.

Saber da existência desses métodos e começar a estudá-los para decidir o que é melhor para a sua família é um passo muito importante da introdução alimentar. A forma como seu bebê vai conhecer os alimentos e encarar as refeições vai fazer toda a diferença na alimentação dele até a vida adulta.

Utensílios

Sinceramente, os utensílios são opcionais. Uma cadeira de alimentação ajuda a manter o bebê seguro e confortável para comer, mas existem outras formas. Há mães que colocam uma toalha no chão e deixam o bebê bem à vontade. E isso não está errado, mas neste caso sempre é recomendado que a casa passe por uma detetização antes.

Contudo, se você busca utensílios para facilitar essa fase, vão algumas dicas:

  • Cadeira de papá fácil de limpar, preferencialmente sem estofados;
  • Pratinhos de materiais não quebráveis (silicone, plástico BPA Free);
  • Colher de silicone;
  • Babadores tipo avental, com mangas – salvam muitas roupinhas;
  • Copinho com bico ou com canudo.

Organização

Essa talvez seja a parte mais desafiadora, organizar-se. Criar uma rotina alimentar saudável, não com horários rígidos, mas seguindo uma sequência previsível.

Na correria do dia a dia às vezes fica difícil preparar refeições saudáveis todo dia, por isso um cardápio para a alimentação do bebê pode ajudar. Assim você não precisa pensar todos os dias no que preparar, as refeições já estarão definidas.

Além disso o cardápio também ajuda na hora das compras. Sabendo quais serão as refeições e lanches da semana a lista de compras já está praticamente pronta.

Quanto aos horários, é claro que você não precisa ser escrava do relógio, mas procurar fazer as refeições mais ou menos nos mesmos horários dá mais segurança e tranquilidade ao bebê.

A introdução alimentar pode ser um momento desafiador, mas também é muito gratificante. Estudar e se organizar são as melhores estratégias que você pode usar para curtir o máximo possível este momento com seu filho.

%d blogueiros gostam disto: