Cuidar da saúde bucal é importante em qualquer idade, do mais novo ao mais velho. Isso faz com que doenças bucais e corporais sejam evitadas, promovendo uma melhor apresentação do sorriso e elevando a autoestima. Por isso, é importante considerar um convênio odontológico na terceira idade para preservar a dentição e saúde neste período.

Inclusive, para auxiliar nesse momento, existe uma especialidade dentro da odontologia que cuida dos dentes das pessoas da terceira idade: a odontogeriatria. 

Os profissionais dessa área fazem o trabalho preventivo, de tratamento ou mesmo de resolução/reparação da dentição.

Assim como mencionado anteriormente, problemas bucais podem desencadear doenças não só na boca, como no restante do organismo, principalmente nas pessoas mais idosas que costumam apresentar algumas fragilidades.

Dentre os problemas que podem ser agravados/influenciados estão fatores como:

  • Diabetes;
  • Artrose;
  • Artrite;
  • Osteoporose;
  • Problemas endócrinos;
  • Problemas vasculares.

Toda fase da vida representa alterações significativas no corpo, assim como na boca. Portanto, cada faixa etária conta com cuidados específicos de situações que estão mais propícias a acontecer, como na terceira idade. 

Os problemas mais frequentes que acontecem na saúde bucal durante a terceira idade são:

  • Fragilidade na língua;
  • Perda unitária, parcial ou integral da dentição;
  • Perda do paladar;
  • Perda da produção de saliva. 

A perda de produção da saliva é alarmante, pois ela faz a limpeza natural da cavidade bucal. 

Por isso, há um entendimento de que “boca seca é sinônimo de acúmulo de bactérias”, que podem causar tanto doenças bucais, como cáries, halitose, gengivite e periodontite, como em outros lugares do organismo, como foi dito anteriormente.

Isso porque outras partes do organismo podem ser afetadas porque as bactérias acumuladas na boca podem seguir um percurso pelo corpo e chegar ao sistema digestivo ou cardiovascular.

Assim, é importante pensar que o organismo humano é um só, que está inteiramente interligado. 

Acompanhamento profissional na terceira idade

Devido a necessidade de acompanhamento adequado e mudanças que ocorrem no organismo, estudos diversos passaram a ser desenvolvidos para compreender mais profundamente esse aspecto.

Assim, desde então investe-se em pesquisas e estudos na área odontológica que demonstram a necessidade de acompanhamento profissional na terceira idade

Portanto, a necessidade de um convenio odontologico para idosos também se faz necessário, visto que há especificidades nessa faixa etária que precisam ser compreendidas.

Para se ter uma ideia, números disponibilizados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, apontam que ao menos 11% dos brasileiros – o que corresponde a quase 16 milhões de pessoas – não tem nenhum dente na boca. 

Além disso, a Pesquisa de Saúde Bucal realizou uma pesquisa em que 15,4% de pessoas utilizam próteses dentárias. 

Ou seja, elas já tiveram a arcada dentária comprometida, seja  parcialmente ou integralmente; sendo que grande parcela desses números correspondem à população de terceira idade brasileira.

Especialistas explicam que isso se deve não só pela transformação genética do corpo, que faz com que os ossos se tornem mais frágeis, assim como os dentes, ou mesmo a mudança do pH na mucosa por conta da alteração do fluxo salivar.

Isso porque o acesso prático às consultas odontológicas é recente na cronologia histórica do Brasil e, por isso, os idosos muitas vezes não tiveram os tratamentos devidos contemplados em um plano odontologico, por exemplo. 

Além disso, hábitos inadequados e a ausência do acompanhamento profissional ao longo da vida também prejudicam a estrutura, facilitando o acesso de doenças e bactérias diversas.

Por isso, apesar da facilidade de acesso estar sendo ampliada, é crucial que haja a preocupação em manter visitas recorrentes ao consultório, evitando inflamações.

Vantagens de se ter um plano odontológico na terceira idade

Primeiramente, a principal vantagem de se ter um plano odontológico na terceira idade é o baixo custo que ele tem.

Durante essa fase da vida, a frequência ao consultório do dentista deve aumentar, pelo cuidado maior que ela exige com a cavidade bucal. Por isso é preciso considerar que pagar por cada consulta, de forma individual, pode demandar um alto valor orçamentário.

Inclusive, pode ser interessante verificar a abrangência de dependentes de um plano dental coletivo empresarial de algum familiar, para que os idosos também sejam contemplados com o serviço por um preço mais acessível. 

De modo geral, os filhos dispõem de mais possibilidade para a inclusão dos idosos ao convênio devido a relação direta familiar.

Além disso, há situações em que após a aposentadoria, o idoso tenha acesso ao plano utilizado pela empresa em que prestava serviço, bem como verificar opções para a aposentadoria. 

Para isso, é crucial verificar junto à operadora e/ou empresa quais as opções após o vínculo empregatício.

Além disso, hoje muitas pessoas já procuram novas formas de trabalhar e se tornam donos do seu próprio negócio, como um microempreendedor, também havendo a opção de atendimento odontológico por um preço compatível, com um plano dental para MEI.

Nesse caso, havendo a realização de serviços como autônomo, é possível verificar planos voltados para esse tipo de serviço – mesmo que não haja mais prestação.

As vantagens de se ter um plano odontológico que atenda as pessoas na terceira idade não se restringem apenas ao preço nas consultas. 

Isso porque procedimentos ortodônticos estéticos e funcionais também são mais acessíveis com um convênio podem ser acompanhados mais adequadamente, prevenindo o surgimento de problemas e complicações.

Do mesmo modo, é possível oferecer um acompanhamento próximo de outros problemas que afetam a saúde bucal, bem como procedimentos estéticos que favorecem – em caso de possibilidade – a funcionalidade do sorriso e a autoestima do paciente nesse período.

Além disso, o dentista de plano odonto empresarial ou particular consegue avaliar próteses que foram feitas há anos e que podem estar desgastadas, fazer a avaliação da saúde bucal como um todo e, caso necessário, indicar tratamentos práticos e não invasivos, devido à idade.

Assim, é possível preservar o esmalte dos dentes e sua estrutura como um todo, deixando-os mais nutridos e garantindo uma cavidade oral mais saudável a longo prazo e independentemente dos ofensores que surgem na terceira idade. 
Conteúdo originalmente desenvolvido pela equipe da Ideal Odonto, empresa especializada em planos odontológicos com atendimento acessível para devolver o sorriso dos pacientes.

Qual a sua reação?

Animado
0
Feliz
0
Apaixonado
0
Mais ou menos
0
Empolgado
0

Você pode gostar

Os comentários estão fechados.

Mais em:Blog