Equipamentos de segurança eletrônica do Brasil são inseguros?

Equipamentos de segurança eletrônica do Brasil são inseguros?

23 ago

Os equipamentos de segurança eletrônica possuem alguma falha do Brasil possuem alguma falha? Quando pensamos em segurança da informação sabemos que ter os arquivos armazenados na nuvem (em um servidor virtual) é muito mais seguro do que em um servidor físico.

No momento em que pensamos essa mesma lógica para a segurança eletrônica, com equipamentos de Cftv (Circuito fechado de televisão) nos deparamos com uma realidade de insegurança e falta de informações.

Isso porque a grande maioria dos equipamentos de segurança eletrônica do Brasil, sejam eles residenciais ou de condomínios possuem um Dvr (Digital Vídeo Recorder) e câmeras de segurança, porem não possuem cópia de segurança dos arquivos.

Os sistemas com DVR mais comuns

Image and video hosting by TinyPic

Os sistemas convencionais funcionam da seguinte forma no circuito fechado de televisão:

As câmeras de segurança gravam o ambiente e enviam os dados para o DVR. Esse equipamento possuí um Hd interno que armazena os vídeos.

Em casos onde o sistema é interligado com a internet, até existe a função de visualização em tempo real via smartphone das filmagens do dia e até mesmo das filmagens que estão armazenadas no DVR.

Uma das maiores empresas de segurança eletrônica do Brasil, a Intelbrás possuí uma plataforma com fácil implantação desse serviço.

O problema é que o DVR normalmente fica em local sem a proteção adequada para garantia da segurança dos dados gravados.

Dessa forma caso o local seja invadido, e o bandido descubra a localização do DVR, ele pode simplesmente roubar esse equipamento (DVR) não deixando nenhuma pista ou gravação para a polícia.

Por que a maioria dos locais não utilizam o sistema de segurança em nuvem?

Por causa do custo gerado por esse armazenamento.

Para utilizar os sistemas de cftv gravando os dados na nuvem, o investimento é muito maior do que um sistema convencional com DVR e gravação local, pois depende de um sistema com protocolos de gravação na nuvem, internet com boa qualidade de upload e espaço físico para armazenamento das videos em servidores virtuais.

Por que utilizar um equipamentos de segurança eletrônica com com gravação na nuvem?

Image and video hosting by TinyPic

A resposta é muito simples. Um sistema que possuí essa funcionalidade de gravação dos dados na nuvem é muito mais seguro.

Mesmo que sejam roubados todos os equipamentos de filmagem, incluindo câmeras de segurança e Dvr os dados que já estão armazenados na nuvem (em um servidor virtual) ficam totalmente seguros.

Outra vantagem do sistema de gravação na nuvem:

Image and video hosting by TinyPic

Todos os equipamentos eletrônicos estão sujeitos a ter algum problema e estragar a qualquer momento.

O Hd onde ficam armazenados os dados pode ter um problema de danificação dos dados. Caso isso ocorra, existe a possibilidade de perder todos as informações gravadas nesse disco rígido.

Dessa forma mais uma vez, destacamos a importância de um sistema de segurança de informações adicional para garantir a cópia segura das gravações.

Equipamentos de segurança eletrônica: Solução mais econômica

Uma opção mais econômica utilizada em sistemas de segurança eletrônica é a instalação de um DVR adicional.

Dessa forma mesmo que ocorra qualquer problema com o DVR principal, esse outro equipamento estará funcionando e gravando as informações em tempo real.

Os equipamentos DVR devem ficar em locais seguros e escondidos para evitar que uma ação de criminosos termine de forma impune.

Adaptação para funcionamento

Mesmo com equipamentos de segurança eletrônica que não sejam os mais robustos pode-se fazer a conexão de um computador no DVR, os arquivos gravados em uma pasta específica desse computador podem fazer o upload automático em um servidor virtual (na nuvem) para obter maior segurança.

Esse não é o sistema ideal, mas dependendo da verba disponível no projeto, pode se tornar a solução mais viável.

Vai sempre existir um tempo de delay entre a gravação e o armazenamento na nuvem, porem quanto melhor for a performance dos equipamentos e da internet do local, menor será o tempo de delay.

Tem como gravar os dados diretamente na nuvem sem o DVR?

Sim. Essa não é uma prática recomendada, mas existe a possibilidade.

Essa não é a forma correta, pois nesse formato não existe uma redundância, portanto caso tenha problema na internet os dados não serão gravados e dessa forma o sistema se torna inseguro.

Para gravações sem o Dvr, deve ser utilizado o encoder que irá servir de ponte entre as câmeras de segurança e o armazenamento na nuvem.

Quais são as soluções profissionais de gravação na nuvem mais utilizadas no Brasil?

As empresas Tec Voz e Camerite possuem soluções mais práticas e econômicas para fazer a gravação das imagens na nuvem.

O valor do investimento varia com relação à quantidade de dias de acesso à gravação que você precisa.

A Tec Voz tem a solução para armazenar as ultimas 24 horas por apenas R$ 9,90 por câmera a ser pago mensalmente (Dados de agosto de 2018 consulte o valor atual).

Para obter mais tempo de armazenamento a solução da Camerite oferece um custo menor.

Para armazenar os últimos 7 dias de filmagens o custo atual é de R$ 29,90 por câmera mensalmente. (Dados de agosto de 2018 consulte o valor atual).

No cenário onde tenha 4 câmeras de segurança, o requisito obrigatório é ter uma internet banda larga com no mínimo 4 megas de upload.

Conclusão

O sistema de câmeras de segurança com gravação na nuvem tem uma demanda crescente, mas a grande maioria das residências e condomínios não utilizam essa tecnologia por dois motivos:

  1. Falta de conhecimento sobre essa solução;
  2. Custo mensal para manutenção para funcionamento do serviço.
Compartilhe: