Conheça os perigos de se tornar um detetive particular

Você gostaria de se tornar um detetive particular? Então, leia até o final e saiba mais sobre como é essa profissão, seus perigos e veja se ela de fato é para você!

Para se tornar um detetive particular é preciso primeiramente ter a certeza de que está apto ou disposto a adquirir as habilidades necessárias para o cargo. Discrição, boa memória, capacidade de lidar com pressão, sutileza e boa capacidade de observação são algumas das características que um bom detetive particular deve possuir. Características estas inatas ou que podem ser adquiridas com a formação e o dia a dia do trabalho.

Fazer um bom curso de formação para detetives é essencial, pois o curso dará a base teórica que o detetive particular precisa para atuar da melhor forma nessa profissão. Nos cursos de formação para detetives é ensinado, por exemplo, a manusear os principais aparelhos utilizados pelos profissionais, noções de direito criminal, elaboração de relatórios, técnicas de entrevista e perseguição e muitos outros assuntos pertinentes e essenciais aos futuros profissionais da investigação.

É importante deixar claro que é uma profissão que requer estudo constante, disciplina, engajamento e disposição física e mental. Ao conversar com profissionais que atuam na área há bastante tempo podemos ouvir relatos de investigações onde eles ficaram horas dentro de um carro, por exemplo, assim como horas em locais perigosos e de difícil acesso.

Podemos citar uma lista de perigos que um detetive particular pode correr realizando seu trabalho:

  • Ser pego em flagrante pelo investigado e nunca saber qual será essa reação. Sim, muitas pessoas acabam agindo com violência, quebrando equipamentos e até machucando o detetive particular.
  • Sofrer as consequências de uma perseguição. Muitas vezes numa perseguição de carro, o detetive particular precisa passar em sinais vermelhos, ter uma direção perigosa e isso pode causar, desde simples multas de trânsito até graves acidentes envolvendo vítimas.
  • Ter problemas com a lei em diferentes âmbitos. Além das multas de trânsito que já falamos, podem ocorrer processos judiciais por calúnia, uso indevido de provas, violação de privacidade. Para que isso não ocorra é fundamental que o detetive particular conheça bem as leis e aja sempre dentro delas.

Esses são alguns exemplos dos perigos que a carreira de detetive particular pode trazer, pois por ser dinâmica e envolver diversas situações a cada dia de trabalho, novos perigos não programados podem ocorrer. Os mais experientes na profissão dizem que até suas famílias precisam ser orientadas dos perigos que elas podem sofrer.  Por isso a discrição é essencial. Manter a família longe de problemas é uma questão importante nessa profissão.

Vale a pena ser detetive particular apesar do perigo?

Certamente essa é a pergunta que muitos devem estar se fazendo. O que os detetives particulares que estão na ativa dizem é que vale a pena sim ingressar nessa carreira. É uma profissão com riscos, mas sendo bem realizada, de forma correta, sancionada pela lei, respeitando os clientes, utilizando todo o aprendizado de forma positiva ela é gratificante, tanto pessoalmente quanto financeiramente.

Se você pretende seguir essa carreira de detetive particular saber dos prós e contras é essencial. Colocar tudo na balança e ver se realmente essa é a profissão que você deseja.

Decidido que você quer ser um detetive particular — apesar dos perigos da profissão — procure um bom curso de formação de detetive e comece o quanto antes sua carreira nesse mercado. Ele é bem competitivo, mas como todos os outros sempre tem espaço para profissionais competentes e comprometidos em fazer o melhor para seus clientes.